Blog Manancial Jovem - Um Giro de Notícias

quarta-feira, 16 de março de 2016

0 Planalto anuncia Lula como novo ministro da Casa Civil .G1

0 PT teria contratado pai-de-santo para “trabalho” contra impeachment da presidente Dilma

Uma das estratégias do Partido dos Trabalhadores (PT) para evitar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) envolve rituais de candomblé.

O pai-de-santo recifense Carlos de Xangô afirmou que foi contratado pelo diretório do PT em Pernambuco para realizar um ritual de convocação de entidades espirituais para que a cassação de Dilma não aconteça.

A informação foi revelada pelo jornal Tribuna da Bahia, que entrevistou o babalorixá em sua visita a Salvador. O religioso disse ter ido à cidade pois alguns ingredientes do ritual eram “somente encontráveis na capital baiana” e que sua visita tinha como objetivo “realizar um ebó para exu a fim de acabar com o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff”.

“[Fui] contratado pelo diretório do PT em Recife. Mais precisamente pelo presidente do partido naquela capital, Oscar Paes Barreto. Ele revelou já ter feito trabalhos semelhantes para ex-governadores pernambucanos como Eduardo Campos (falecido em acidente aéreo em 2014); Marco Maciel (ex-vice-presidente, atualmente aposentado por sofrer de Alzheimer) e Joaquim Francisco”, afirmou Carlos de Xangô.

Ainda segundo o próprio babalorixá, o custo dos materiais usados no ritual que tenta impedir que Dilma seja afastada de seu cargo foi de R$ 1.200,00. Dentre os diversos ingredientes, estão “dois cabritos, duas cabras, 16 frangos, duas galinhas da Guiné, um galo e um casal de pombo”.

Mesmo comandando o ritual que pretende manter a presidente no posto, o babalorixá considera Dilma “pau mandado de Lula” e que se preocupa “muito com a situação econômica do País e em melhorar as condições da Saúde para a população”, demonstrando reprovação à atual administração petista.
Marco Maciel

O ex-vice-presidente Marco Maciel (DEM-PE), 75 anos, foi diagnosticado com Alzheimer há quatro, depois de ter se submetido a um tratamento contra depressão.
Whatsapp
Compartilhar

Maciel, que figurava na cena política há mais de 40 anos, perdeu sua primeira eleição em 2010, quando tentava a reeleição para o mandato de senador, que vinha exercendo desde 2002, após encerrar seu mandato como vice-presidente de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Em sua despedida do Senado, em 2010, Maciel – que era considerado um habilidoso e discreto articulador político – se emocionou: “Desejo iniciar minhas palavras expressando o meu agradecimento a Deus, que me permitiu, com resignação e humildade, aceitar os seus elevados desígnios. E ao povo pernambucano, igualmente agradeço o privilégio de, nos últimos 40 anos, tê-lo representado nos mais altos fóruns do País”, afirmou, de acordo com informações do Congresso em Foco.noticias gospel mais

0 Sou um profeta do caos”, afirma Delcídio Amaral

A crise política e econômica que tomou conta do Brasil desde a reeleição de Dilma Rousseff atinge pessoas de todos os credos. Em meio a ela, o senador Delcídio Amaral (sem partido/MS), preso no final do ano passado, usou um termo religioso para definir o que ainda está por vir.

Após fazer uma delação premiada que só foi homologada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), esta semana, ele se tornou uma figura central na revelação dos bastidores da política, que mostram o abismo moral que o país atravessa.

Justamente por revelar muito, Delcídio tomou para si o título de “profeta do caos”. Em entrevista aos jornais O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo, ele insiste que se vê assim.

Embora diga que fez uma ‘colaboração de político’. Após pedir desfiliação do Partido dos Trabalhadores, disse que continuará trabalhando, pois, seu mandato eletivo como senador não foi cassado. Atualmente, ele está afastado do Senado pois desfruta de licença médica.

Ao mesmo tempo que procura ganhar a simpatia dos opositores à Dilma, assevera: “Eu não sou vilão. Eu não sou bandido. Eu sou um profeta do caos”. Sua importância no processo da Lava Jato não pode ser minimizada, pois para muitos é essa delação que pôs fim definitivamente à estabilidade do governo.

Ele, que já foi líder do governo no Senado, explica que sua delação “junta as pontas”. Ainda em tom profético, assevera: “Vai ficar fácil para os investigadores trabalharem com outras informações já existentes”.

Enquanto isso, a presidente Dilma, cujas declarações de Delcídio desmascararam frente a opinião pública, nomeou o ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil. A manobra, que daria a ele fórum privilegiado e impediria sua prisão, já era esperada. O anúncio gerou um abalo na economia, com subida do dólar e queda nas bolsas.
Cumprimento de Profecia?

Entre alguns segmentos evangélicos, os acontecimentos recentes na política do país são resultado de uma profecia, mas não a de Delcídio. Seriam o cumprimento de uma revelação da norte-americana Cindy Jacobs.

Em 2013 ela profetizou durante um evento em Belo Horizonte: “Assim diz o Senhor: estou dando ao Brasil uma segunda chance. Estou abrindo uma nova janela, diz o Senhor. E vocês começarão a orar, e se vocês não entrarem por essa janela eu vou abalar a economia. Eu vou transformar o Brasil… Assim diz o Senhor: É o meu desejo abater o principado da corrupção”noticias prime

0 Após reunião com governador, ‘Sebá’ analisa futuro e condições para aliança com Duque

O deputado federal licenciado, Sebastião Oliveira, já tem uma ideia formada quanto ao futuro do Partido da República (PR) nas eleições de Serra Talhada. Sua postura ficou clara após a conversa que teve a portas fechadas com o governador Paulo Câmara, na última segunda-feira (14), em Recife. De acordo com o deputado, o comportamento de alguns integrantes da oposição e os conselhos do governador ajudaram no planejamento dos próximos passos.

“Primeiro quero dizer que tenho uma relação de amizade e profundo respeito ao governador Paulo Câmara, que está ciente de todos os movimentos que acontecem em Serra Talhada. Ele sabe de tudo. Mais uma vez, ele (Paulo Câmara) me deu a liberdade para resolver o futuro das oposições, mas, evidente; passando pelo crivo dele”, disse Sebastião Oliveira, afirmando que até o final da semana o PR vai anunciar a decisão final.

Durante a entrevista ao FAROL, por telefone, o deputado foi questionado sobre os comentários de uma possível aliança com o prefeito Luciano Duque e foi direto ao ponto.

“Você tem que convir que houve uma quebra de confiança dentro do grupo de oposição. O PR não mudou nada e é o único partido que está se movimentando dialogando com a população. Agora, não temos interesse nenhum em fechar aliança com o PT, que está se acabando e é difícil articular um discurso de união com ele (Duque) estando no PT. Portanto, estou descartando uma aliança com o PT de Luciano Duque, desta forma não tem como conversar”, garantiu.

PARTIDO ESTÁ UNIDO

Ao contrário do que muitos afirmam, Sebastião Oliveira está tranquilo e conta com a possibilidade de lançar o médico Fonseca Carvalho na disputa pela prefeitura. Segundo ele, a decisão depende muito da disposição do médico em entrar na briga.

“O PR continua sendo oposição e temos os melhores quadros. Vou me reunir com Fonseca e Allan Pereira até sexta-feira (18) onde tomaremos uma decisão sobre o futuro do partido. Também pretendo conversar com Carlos Evandro e anunciaremos a nossa decisão”, assegurou.

farol de noticias

0 STF julga nesta quarta recurso contra mudança no rito do impeachment

O Supremo Tribunal Federal (STF) analisa nesta quarta-feira (16) recurso da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados contra decisão da Corte de dezembro do ano passado que alterou o rito do impeachment da presidente Dilma Rousseff . Com o recurso, a Câmara busca reverter as principais mudanças no andamento do processo determinados pela maioria dos ministros.

Na decisão de dezembro, o STF anulou a eleição de uma chapa alternativa de deputados, não indicados por líderes, para a compor a comissão especial que analisará as acusações contra Dilma. O grupo era majoritariamente formado por opositores da presidente.

Os ministros ainda proibiram a votação secreta para escolha dos membros da comissão e deram ao Senado o poder de recusar a abertura do processo, mesmo após autorização da Câmara.

O recurso apresentado pela Câmara, conhecido como "embargos de declaração", serve para esclarecer pontos da decisão considerados obscuros, contraditórios, omissos ou duvidosos. A rigor, não serve para mudar as determinações, mas já houve casos em que isso ocorreu, quando a Corte entendeu ter cometido um erro grave.

A peça busca permitir as candidaturas avulsas para a comissão e sua escolha por votação secreta. Além disso, busca dar à própria Câmara a decisão de afastar a presidente do cargo, por até 180 dias, após a decisão de autorizar o processo, por 2/3 dos membros da Casa.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já externou a intenção de retomar o andamento do processo do impeachment, com a instalação da comissão especial já no dia seguinte à decisão do STF.http://g1.globo.com/politica/processo-de-impeachment-de-dilma/noticia/2016/03/stf-julga-nesta-quarta-recurso-contra-mudanca-no-rito-do-impeachment.html
MANACIAL. Tecnologia do Blogger.